quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Epidemias letais

Após a epidemia de ebola, na África, o mundo volta as atenções para o Zika vírus, especialmente no Brasil, mas, por aqui, a epidemia mais letal é outra, e não tem nada ver com mosquitos. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou em janeiro o fim da epidemia de ebola na África. Em dois anos, a doença matou 11 mil pessoas, o que a fez ser considerada de grave letalidade. São números expressivos, condizentes com uma das mais preocupantes crises médicas da história recente do planeta. Ainda assim, num comparativo com outra causa de mortalidade, o quantitativo é módico.